Categoria / Category Europa

Pedalada Angermünde – Bernau

DCIM101GOPRODepois de dormir uma noite na pacata Angermünde, encarei minha primeira viagem de bicicleta sozinha pela Alemanha. Logo ao sair, passei para conhecer o lago local, o Mündesee, e segui caminho na direção do Parsteiner See. No primeiro sinal que vi pelo caminho que dizia Parsteiner See, entrei. Era uma pequena estrada que levava a uma linda prainha do lago. Alguns barcos na água e famílias aproveitando o domingo no lago. Segui em direção ao outro lado do lago, onde me disseram que era um bom local para um banho, no camping do Parsteiner See.

Depois, por um caminho no meio da floresta, segui em direção a Chorin. O dia ensolarado foi embora e nublou rapidamente. Logo, comecei a escutar trovões de longe, muito vento e começam os primeiros pingos de chuva. Parei pra pegar a jaqueta impermeável. É um pouco estranha a sensação de estar sozinha na floresta, ninguém por perto e começar uma mega tempestade. Sigo caminho e avisto uma placa que diz que Chorin está a menos de 3km...

Leia Mais... / Read More...

Pedalada: Schorfheide

kb_de14_00398O verão chegou em Berlim e é hora de conhecer os lagos da região. Melhor forma: de bicicleta. Vi no meetup que Pixi, um alemão que conhece bem a região, estava propondo uma pedalada, no sábado, por Schorfheide. Lá vou eu.

O local de encontro foi a plataforma da estação de trem. Imaginei que seria fácil encontrar o grupo, simplesmente me dirigir ao grupo de pessoas que tivesse bicicleta. Ao chegar na estação me deparei com um grande problema, os grupos com bicicleta eram muitos. Acho que havia mais de 40 ciclistas esperando pelo mesmo trem que eu. Mas meu sexto sentido funcionou, escolhi um grupo para abordar e era o certo.

De Berlim pegamos um trem a Oranienburg e lá trocamos para o trem a Hammelspring. Outra experiência interessante, eram tantos ciclistas que não cabíamos todos no pequeno trem. Depois de muito apertar, entramos no trem. O cenário era divertido, bicicletas por todo lado, ninguém podia se mexer, os corredores estavam lotados com bicicletas...

Leia Mais... / Read More...

Viagens pela Espanha

Fotor0330221037

Veja os posts da viagem pela pela Espanha – Ilhas Baleares em 2004 e 2006

  • Mallorca (2004)
  • Menorca (2006 – em breve)

Veja os posts da viagem pela pela Espanha – Catalunha em 2003


View Viagens Errante / Errante’s Travels in a larger map

Leia Mais... / Read More...

Escandinávia – Báltico 2004

escandinavia2004Veja os posts das viagem Escandinávia – Báltico 2004:


View Viagens Errante / Errante’s Travels in a larger map

Leia Mais... / Read More...

Sardenha

sardenha_

Decidi seguir com as escapadas a ilhas. Depois de Mallorca, foi Sardenha. Desta vez fui com Maxim, aproveitamos que era seu aniversário para fazer sua primeira viagem pelo “errante”. Agora, além de fazer as páginas, ele faria fotos e vídeos comigo.

Logo que chegamos choveu muito forte, o centro histórico de Alghero estava vazio, abandonado e água por todo lado. Jantamos em um bom restaurante italiano e voltamos para o hotel. O dia seguinte estava ensolarado e assim foram os 4 dias na Sardenha; um clima perfeito para viagem. Alugamos um carro, essencial para conhecer a ilha. Primeiro dirigimos em direção ao lado leste da ilha. Ficamos surpreendidos pela quantidade de lixo na estrada perto de Nuoro. Tinha geladeira, sofá, fogão, pedaços de carros, tudo jogado na lateral da pista. Paramos em Nuoro para comer e caminhamos um pouco pelas montanhas. A região é conhecida por seus murais. Vimos alguns interessantes, havia mural até nas estradas.

Antes de chegar a Arbatax, no...

Leia Mais... / Read More...

Mallorca

Aproveitei a visita de minha mãe pela Espanha para conhecer Mallorca, fomos por somente quatro dias. Chegamos pela tarde e tomamos um pouco de sol no terraço do hotel. Depois comemos uma deliciosa torta com chá e saímos para caminhar pelo centro histórico.

A cidade de Palma é bonita, tem uma parte antiga muito interessante e avenidas largas com coqueiros. Notamos que estão acostumados com os turistas pois sempre nos tratavam bem nos restaurantes e hotel. São hospitaleiros, diferente de outras partes da Espanha onde parecem estar incomodados pela presença de turistas.

No último dia, tentamos de toda forma fazer um passeio de barco mas não foi possível. Era final da alta temporada e naqueles dias haviam mudado os horários dos barcos. Chegávamos sempre uns minutos depois que o barco tinha partido. Grande parte foi erro da agência de informação turística que nos disse o horário errado...

Leia Mais... / Read More...

Oslo


Oslo foi nossa última parada. Chegamos pela tarde e fomos a uma casa que aluga quartos para turistas. O lugar assustou um pouco, era muito longe do centro, parecia zona rural, só se via o verde em volta. Não era bem a idéia de turismo urbano que tínhamos. Parecia um lugar de casas de fim de semana. Mas no final do dia vimos que não, desceram do trem muita gente, ou seja, pessoas moravam ali sempre e não só nas férias. Ficamos imaginando como seria morar neste lugar no inverno, tudo muito quieto, sem vida e, além do mais, neve por todo lado. No segundo dia, mudamos para um hotel no centro da cidade.

Em Oslo, visitamos o porto, um lugar lindo para no final da tarde ver o pôr do sol e os barcos. Passeamos também pelo Vigeland Park: maravilhoso. Um parque com aproximadamente 200 esculturas do famoso artista norueguês, Gustav Vigeland. As esculturas, em granito e bronze, são homens, mulheres e crianças nus que formam posições de movimento com grande harmonia...

Leia Mais... / Read More...

Estocolmo

Chegamos em Estocolmo num domingo, dia tranqüilo. Domingos são iguais em todo lugar… Na chegada ao hotel caminhamos pelo centro, onde tem muitos cafés e mesas na rua. Todos estavam ao sol. Depois, fomos passear pelo centro antigo “Gamla Stan”. Passamos pelo porto de onde saem muitos barcos de turismo. O dia estava lindo, ensolarado. Caminhamos muito pela pequena ilha e arredores. É cheia de bares, restaurantes e estava lotada de turistas caminhando pelas ruas. Sentávamos, as vezes, a observar as pessoas passando. Chamou-nos a atenção o grande número de mães com carrinhos de bebe. Até brincamos que devia estar na moda ter filhos pequenos. No dia seguinte, caminhamos pelo centro e pegamos o barco para Tallinn.

Na volta a Estocolmo, uma semana depois, já estava frio. Era final de agosto, mas pela noite a temperatura baixava bastante. O dia, um pouco chuvoso, ajudava para isto. Fomos jantar num restaurante em “Gamla Stan”- boa comida e vinho...

Leia Mais... / Read More...

Helsinque

Chegamos em Helsinque num dia chuvoso, cinza. Caminhamos um pouco pelo centro da cidade, paramos num café para comer algo e fui a minhas palestras do ISEA2004. Minha mãe ficou passeando pelo centro e fotografando. No final da tarde, era a inauguração da exposição da ISEA no Kiasma (Museu de Arte Contemporânea). Ai encontramos meus amigos espanhóis que estavam exibindo uma obra e mostrei a minha mãe um pouco de arte eletrônica. Os dias seguintes foram um mescla de ir a palestras e caminhadas para conhecer a cidade. Sempre que havia sol dava uma escapada da conferencia para fotografar e caminhar pelos pontos turísticos.

A cidade é organizada e ao mesmo tempo fria. Dá sempre a impressão de que está faltando algo. Segundo minha mãe, é porque faltava um centro histórico pequeno como em outras cidades da Europa. Em Helsinque tudo era amplo e não dava a sensação de um lugar aconchegante.

Uma coisa que nos chamou a atenção foi o enorme número de cabeleireiros pela cidade...

Leia Mais... / Read More...

Tallinn


Na chegada em Tallinn, o dia estava chuvoso e frio, fomos tomar um café pelo centro e caminhar um pouco pela parte histórica. Fiquei impressionada com a quantidade de turistas, apesar da chuva. Caminhávamos pelas ruas estreitas com grupos de ingleses, alemães, espanhóis. Todos com suas jaquetas de chuva e câmera fotográfica. Lugares com muitos turistas, especialmente grupos, me deixam claustrofóbica. Era como se estivéssemos na Disneylândia visitando centros históricos organizados, tinha até um trenzinho que levava para dar um volta pelo centro.

Eu passei boa parte dos dias em palestras do congresso. Minha mãe passeou pela cidade e foi a lojas de souvenir. Descobrimos que a cidade não é sempre lotada de turistas, são apenas horários que os grupos invadem o centro. No meu entendimento, deve ser o horário que os cruzeiros param ali por algumas horas. O centro pode ser muito bonito e agradável, principalmente pela noite e horas de pouco turismo.

Fomos a uma festa numa ...

Leia Mais... / Read More...