Cicloturismo: Itaparica – Salinas da Margarida

  • 1º dia: Bom Despacho – Salinas da Margarida 61 km
  • 2º dia: Salinas da Margarida – Barra do Paraguaçu 36.58 km gpx

Cicloturismo: Itaparica – Salinas da Margarida – Barra do Paraguaçu from Karla Brunet on Vimeo.

Como eu gostei muito da experiência da viagem de Mangue Seco – Praia do Forte organizada por Lúcia Saraiva dos Amigos de Bike , resolvi encarar mais uma cicloviagem com eles, desta vez Itaparica e Salinas da Margarida. Acordamos muito cedo para encontrar no ferry para Itaparica às 6h. Chegamos em Bom Despacho e fizermos a pausa para um café da manhã com direito a suco de laranja e misto quente e encaramos a estrada.

Fomos pelo acostamento da estrada BA01, achei tranquilo, confortável para pedalar. Agora, quando tinha alguma subidinha, eu ficava pra trás. Todos me passavam e seguiam lá na frente. Lúcia escalou um senhor do grupo para me acompanhar, não me deixar sozinha para trás. Infelizmente, é perigoso uma mulher ficar sozinha na bike por estas bandas… Logo que cruzamos a Ponte do Funil de volta ao continente, paramos para comer lambretas, prato típico da região. Eu adorei o mexilhão baiano.

Depois, nossa próxima parada seria Mutá, numa cervejaria artesanal. No ferry, conhecemos 3 outros ciclistas que estavam indo para lá. Nos contaram que eram sócios da cervejaria e nos convidaram para conhecer. Claro que aceitamos o convite. O lugar é muito agradável, umas mesas grandes, um bar feito com contêiner. E a cerveja, muito saborosa, valeu a parada. A estrada BA534 – que leva a Salinas – não tinha acostamento. Mesmo assim, achei que os carros respeitavam bastante, saiam para a outra pista para nos ultrapassar. Gostei de ver que está melhorando a cultura do respeito ao ciclista. Depois de 61km percorridos, chegamos a Salinas. Aproveitamos a tarde na orla da cidade, comemos moqueca e recarregamos as energias para o dia seguinte.

No domingo, fomos até a barra do Paraguaçu, mas o caminho foi por trilhas no meio de fazendas de camarões. Nunca tinha visto de perto a criação de camarões, foi interessante ver de onde vem o camarão que como em Salvador. Na volta a Salinas, paramos para o almoço na beira da baia. Na chegada de volta à pousada a van já nos esperava para levar de volta ao ferry. Resumindo, um final de semana incrível conhecendo a região onde moro.

Leave a reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.