caminhada tagged posts

Antigua e Pacaya

9114641035_ea75858af4_oMinha vontade de conhecer Antigua era para ver o vulcão Pacaya. Estava no meu imaginário da Guatemala esta pequena cidade colonial rodeada por vulcões ativos. Tinha na cabeça a imagem das casas coloridas e uma montanha triangular no fundo. Infelizmente, foi difícil ver esta imagem, pois estava nublado todos dias que estava na cidade. Lembrava das imagens do vulcão Licancabur que, de todo lado em San Pedro Atacama, eu tentava avistar.

Mesmo sem ver o famoso vulcão Pacaya ao fundo, adorei Antigua. Uma pequena cidade organizada, cheias de cafés acolhedores, atividades culturais, bons restaurantes. Passava o dia caminhando e parando de café em café para ler um pouco. Adoro ler em cafés.

No meu último dia, decidi fazer um trekking pra subir o Pacaya, saímos às 5 da manhã. Ao recorrer todos que iriam ao tour, de longe avistei o vulcão, timidamente aparecendo entre a neblina. Pedi ao motorista da van para dar uma parada para eu fazer uma foto e apreciar a vista...

Leia Mais... / Read More...

Cape Tribulation


Outro passeio interessante saindo de Cairns é Cape Tribulation. Na verdade, eu não recomendo com um passeio de um dia, a melhor forma de conhecer o lugar é ficando uma noite na floresta. Todas as agências oferecem a opção de ficar lá e voltar no dia seguinte com o outro tour.

Nosso guia, Peter, era muito engraçado, com ele aprendi o “no worries, let’s keep going”. Durante a viagem ele nos explicou sobre a industria do açúcar já que esta parte de Queensland é um grande produtor de cana de açúcar. Ele mencionava meu nome a todo momento durante o tour já como brasileira, para ele, eu era parte da “concorrência” no mercado mundial do açúcar.

Nós paramos algumas vezes nos miradores e fizemos algumas caminhadas na floresta. Aqui novamente, tudo era muito organizado. O caminho era bem construído, de madeira, bonito, e eles nos assustavam para não sair da trilha, não era permitido caminhar fora da trilha, caso contrario, coisas perigosas podiam nos passar...

Leia Mais... / Read More...

Daintree Rainforest

Tudo é tão organizado aqui que tem passarela especial para caminhar na floresta.

Leia Mais... / Read More...

Phuket

Patong, em Phuket foi nosso lugar escolhido para descansar os últimos dias da viagem. Nada como um lugar turístico com uma boa infraestrutura para veraneio. Aqui teríamos tudo que queríamos: sol, camas na praia, guarda-sol, coqueiros, água de coco, peixe fresco do restaurante na areia, coquetéis…

A praia parecia como as praias de veraneio do Brasil. Era grande, ampla, podia-se caminhar pela areia. Tinha várias opções de lazer: banana boat, sky aquático, jet sky, mergulho, passeios de barco, colchões de bóia… Também pessoas passando e oferecendo bebida e comida para vender. Alguns não gostam deste tipo de praia agitada. Cresci passando os verões em praias assim, então, me lembra casa e me agrada. Para mim é a idéia de aproveitar o máximo possível o que a praia pode oferecer, explorando todas as facetas. Maxim, que vem da Sibéria, ficou encantado com as possibilidades do paraíso tropical.

Phuket também é conhecida pelo turismo sexual, o que, infelizmente, vimos bas...

Leia Mais... / Read More...

Krabi – Ao Nang – Phang Nga


Chegamos na cidade de Krabi e fomos direto a praia de Ao Nang. Uma praia alegre, cheia de pequenos hotéis, bares e restaurantes. A praia é lotada de barcos que te oferecem a todo momento para te levar a uma ilha ou praia interessante. Recomendamos o tour de 4 ilhas. é um dia de passeio em barco de “cola longa” que percorre 4 praias distintas (Ilha Poda, Ilha Galinha, ilha Tup e caverna Phranang) no decorrer do dia. A viagem de barco é lenta, o que a faz prazerosa pois se pode observar a natureza, rochas, mar, outros barcos… Tudo, sem ter a idéia de estar com pressa para chegar a lugar algum.

A região de Krabi é conhecida por escaladores e mergulhadores. Está rodeada de pedras para escalar e ilhas para o mergulho. Por aqui está a famosa Koh Phi Phi, ilha onde foi gravado o filme “A praia” com Leonardo DiCaprio. Aproveitamos, então, para fazer 4 imersões de mergulho na região de Phi Phi. Foram dois dias de mergulho em Maya Bay e Koh Bida Nok...

Leia Mais... / Read More...

Koh Samui – Bo Phut

Seguimos com o passeio de carro para conhecer alguns pontos da ilha que ainda não tivemos tempo de ver. A primeira parada foi o Bo Phut píer, interessante, pois o pequeno trapiche de madeira dava uma sensação de tranqüilidade enorme. Visitamos a pequena ilha do Big Buddha. Ai está uma estátua enorme de um Buda dourado. O Buda, com quase 20 metros de altura, foi construído em 1972. Havia também as imagens de Buda com os macacos, já tinha lido, mas até agora não tínhamos visto Budas com macacos. Gostei do lugar, pois parecia muito Tailândia, já não era mais uma ilha turística com resorts, mas sim um lugar cheio de fé e crença. Depois, passamos o resto do dia relaxando nas caminhas do hotel: sol, mar e sombra dos coqueiros. Caminhando pela praia encontrei uma garrafa de vidro com conchinhas grudadas. Lembrei do chinelo da outra praia, mais uma vez, a natureza mostrando sua força.

Nosso penúltimo dia na ilha foi uma viagem de mergulho. Fomos Koh Tao a mergulhar...

Leia Mais... / Read More...

Tours no norte da Tailândia

Fizemos dois tours no norte da Tailândia. O primeiro foi um trekking de um dia. Fomos em mini ônibus por uma ou duas horas. Depois, caminhamos por uma hora até uma vila na montanha, ali mora a tribo Hmong, originalmente da região do Tibet e Mongólia. Depois se refugiaram na China ocidental e nos anos 50 e 60 muitos vieram para a Tailândia, outros a Laos e Vietnã. Foi uma visita rápida, o interessante era ver o cartaz de “duas fotos 5 baht” e também o bar vendendo Coca-cola.

Dali fomos fazer um tour com elefantes. Foram 45 minutos encima do animal pelo bosque. Ele parava todo tempo para comer. No final, os guias vendem banana para que a gente possa dar ao elefante. Era como um aspirador de pó que sugava a banana com força. Visitamos, também, uma tribo chamada Karen. Grande parte do povo Karen vive em Mianmá (Birmânia). Nesta tribo, a maioria das mulheres dedicam-se a tecelagem e os homem produzem instrumentos musicais. Compramos, então, um cachecol tecido por elas...

Leia Mais... / Read More...

Estocolmo

Chegamos em Estocolmo num domingo, dia tranqüilo. Domingos são iguais em todo lugar… Na chegada ao hotel caminhamos pelo centro, onde tem muitos cafés e mesas na rua. Todos estavam ao sol. Depois, fomos passear pelo centro antigo “Gamla Stan”. Passamos pelo porto de onde saem muitos barcos de turismo. O dia estava lindo, ensolarado. Caminhamos muito pela pequena ilha e arredores. É cheia de bares, restaurantes e estava lotada de turistas caminhando pelas ruas. Sentávamos, as vezes, a observar as pessoas passando. Chamou-nos a atenção o grande número de mães com carrinhos de bebe. Até brincamos que devia estar na moda ter filhos pequenos. No dia seguinte, caminhamos pelo centro e pegamos o barco para Tallinn.

Na volta a Estocolmo, uma semana depois, já estava frio. Era final de agosto, mas pela noite a temperatura baixava bastante. O dia, um pouco chuvoso, ajudava para isto. Fomos jantar num restaurante em “Gamla Stan”- boa comida e vinho...

Leia Mais... / Read More...

Helsinque

Chegamos em Helsinque num dia chuvoso, cinza. Caminhamos um pouco pelo centro da cidade, paramos num café para comer algo e fui a minhas palestras do ISEA2004. Minha mãe ficou passeando pelo centro e fotografando. No final da tarde, era a inauguração da exposição da ISEA no Kiasma (Museu de Arte Contemporânea). Ai encontramos meus amigos espanhóis que estavam exibindo uma obra e mostrei a minha mãe um pouco de arte eletrônica. Os dias seguintes foram um mescla de ir a palestras e caminhadas para conhecer a cidade. Sempre que havia sol dava uma escapada da conferencia para fotografar e caminhar pelos pontos turísticos.

A cidade é organizada e ao mesmo tempo fria. Dá sempre a impressão de que está faltando algo. Segundo minha mãe, é porque faltava um centro histórico pequeno como em outras cidades da Europa. Em Helsinque tudo era amplo e não dava a sensação de um lugar aconchegante.

Uma coisa que nos chamou a atenção foi o enorme número de cabeleireiros pela cidade...

Leia Mais... / Read More...

Fortaleza


A primeira coisa que fiz em Fortaleza foi passear pela feira de artesanato em Meireles. Começa no final da tarde e, com barraquinhas e turistas, movimenta a noite da praia. Fui para ver redes, camisetas, bonecos, castanhas, cachaças, doces e comi um acarajé com vatapá feito por uma baiana a rigor. Fui caminhando até o Centro Dragão do Mar, um complexo cultural com cinemas, teatro, casa de shows, bares e restaurantes no centro da cidade. O lugar estava lotado, parecia ser das melhores opções para o sábado a noite.

Domingo pela manhã, saí numa caminhada para conhecer as praias. Comecei em Meireles, como era cedo não havia muita gente ainda. Conversei com os vendedores que estavam montando suas barraquinhas. Um vendedor veio conversar comigo porque queria que eu fizesse fotos dele. De Meireles fui, pela orla, até Iracema e centro, onde encontrei com Marcelo que tinha conhecido em Jericoacoara. A idéia era ir até Cumbuco, tinha escutado que a praia era muito bonita...

Leia Mais... / Read More...