ruína tagged posts

Ayutthaya


Vimos fotos de Ayutthaya em uma revista e decidimos, então, passar um dia na cidade. Declarada como patrimônio mundial da humanidade pela Unesco, a cidade possui diversos templos espalhados pelas margens do rio . Foi, também, capital do reino Sião por 4 séculos. Hoje em dia tem um ambiente tranquilo, longe da correria e estresse de Bangcoc. Sentimos uma atmosfera assim nos restaurantes e hotéis. Aqui a vida vai mais lenta e contemplativa.

Visitamos algumas ruínas. Não todas, pois seria muito cansativo e não assimilaríamos o que estávamos vendo. Foi interessante para aprendermos um pouco sobre os rituais budistas. Ficamos um bom tempo em um templo com imagem de um Buda dourado observando os rituais. Aí estavam presentes vários dos objetos simbólicos deles: a vela, que representa sabedoria do Buda, as flores, sua compaixão e o incenso, a purificação. Também, tinha um pote com palitos que sacudiam até sair um, neste em um número que corresponde a uma mensagem...

Leia Mais... / Read More...

Efes

Recomendada por uma amiga alemã, decidi visitar as ruínas de Efes. A cidade mais perto é Selçuk. Dormi uma noite aí e pude perceber que eles estão bem preparados para o turismo. Toda vez que eu perguntava informações nas ruas, eles respondiam com simpatia. Muitos falavam inglês, sinal de que estão acostumados com turistas estrangeiros.

Acordei cedo para conhecer as ruínas. O dia estava feio, nublado… Seria um dia difícil, como fotografar pedras sem volumes e sombras? Dias cinzas sempre me deixam um pouco triste.

Caminhei pelas ruínas sem guia, a cada momento parava e escutava o guia de um grupo de turistas. Algumas vezes ouvia as explicações em inglês, outras em francês ou espanhol, e até um grupo de portugueses encontrei. Brasileiros infelizmente não. Alemão também havia muito mas como não entendo, seguia para encontrar o próximo grupo...

Leia Mais... / Read More...

Pamukkale


Pamukkale é um lugar interessante visualmente, de longe se vê uma montanha branca, como se fosse um topo congelado. São terraços brancos que foram formados por águas termas ricas em bicarbonato de cálcio. Ao escorrer, a água deposita dióxido de carbono no solo. Este vai criando formas brancas incríveis. Cientistas dizem que estes terraços começaram a ser formados uns 14 mil anos atrás. O nome Pamukkale significa castelo de algodão em turco. Para eles a montanha se parece com um grande castelo feito de algodão, para mim parecia gelo, uma montanha congelada.

No mesma lugar há ruínas de uma antiga cidade. Visitei o anfiteatro que fica atrás dos banhos termais. O lugar era meio abandonado, descuidado. Parecia que um pedaço de história havia sido deixado de lado, estava sendo esquecido. Infelizmente não encontrei muita informação sobre esta ruínas.

errante_04896errante_04866errante_04873errante_04874errante_04876errante_04883errante_04888errante_04897errante_04898errante_04899errante_04901errante_04902

Leia Mais... / Read More...

Quebrada de Humahuaca

Resolvi fazer o tour à Quebrada de Humahuaca. Saímos cedo, o dia estava frio e com muita neblina. Depois de quase duas horas de viagem, visitamos a cidade de Pucamamarca: ruas com casas estilo colonial e feira de artesanato. O melhor do lugar é a vista dos morros coloridos ao redor da cidade. De lá, seguimos para Tilcara onde visitamos as ruínas, Pucara, e o ¨Museo Arqueológico¨. Pucara foi toda reconstruída a partir das escavações feitas no local. Em meio aos muros de pedras cresce um grande número de cactos.

Nossa próxima parada foi Humahuaca. A cidade possui um grande monumento em homenagem ao herói indígena da independência, Diego, também, algumas lojas de artesanatos e restaurantes. Pode-se perceber nas pessoas grandes traços indígenas e, por estar perto da fronteira com a Bolívia, influência de sua cultura.

Na volta, paramos em Uquia para visitar uma pequena igreja com pinturas e objetos em ouro...

Leia Mais... / Read More...

Laja – Tiahuanaco

Saímos às 9 da manhã para o tour a Tiahuanaco. No caminho, paramos na pequena cidade de Laja para conhecer a igreja de estilo barroco mestiço. Esta foi criada para comemorar a vitória dos espanhóis sobre os incas. No lado esquerdo, se vê símbolos Incas como o condor, enquanto que no direito, estão os símbolos da igreja católica. A visita a Tiahuanaco começa pelo museu local que mostra objetos indígenas da região. Conhecemos um pouco das culturas pré-colombianas e fomos caminhar nas ruínas.

Tiahuanaco foi talvez a cultura mais importante da Bolívia. Esta foi dividida em 5 fases, a primeira pensa-se que surgiu por volta do século X antes de Cristo, enquanto que a quinta termina por 1200 DC. Depois disso, os Incas chegam na região e tomam conta dos templos.

As lendas populares acreditam que Viracocha (o Deus maior, criador do mundo) ali morava...

Leia Mais... / Read More...

Trujillo e arredores

Cheguei em Trujillo às 4 da manhã e como fui a única pessoa a descer do ônibus que ia para Lima, mais uma vez sofri a briga dos taxistas pela minha mochila. Desta vez deu um pouco de medo pois não estava num terminal e sim numa rua escura. Deixei que eles brigassem e decidissem quem me levaria. É claro que o mais bravo ganhou.

Para visitar as ruínas não quis pegar um tour, resolvi fazer por conta própria. Na manhã, conheci as Huacas del Sol y de la Luna, mas não se sabe se realmente eram templos do sol e lua. O nome foi dado pelos espanhóis quando chegaram no local e acharam que essas fossem construções incas. Na verdade, são construções do período Moche, centenas de anos antes dos Incas.

Somente um dos templos está aberto a visitas, pude ver as diferentes salas, o lugar de sacrifício e onde foram encontradas cerâmicas, esqueletos e objetos em ouro, cobre e prata. Os desenhos nas paredes lembram um deus bem assustador...

Leia Mais... / Read More...