Sucre

Na chegada em Sucre, peguei um táxi com mais 3 pessoas para conhecer Tarabuco, a uns 65km de distância. Todo domingo a pequena cidade fica lotada de turistas e visitantes das redondezas aparecem para comprar e passear no mercado. Passamos umas três horas na pequena cidade de grande influência indígena e depois voltamos para Sucre. Acredito que Sucre seja uma das cidades mais ricas da Bolívia. Foi o lugar onde pude perceber um maior número de pessoas de classe média. É, também, onde moravam muitos dos espanhóis que exploravam as minas de Potosí.

Uma das atrações de Sucre é conhecer as pegadas de dinossauros. Estas ficam numa fábrica de cimento. As primeiras marcas foram descobertas há uns 14 anos, mas só começaram a estudar e preservar as pegadas há uns 7 anos . O tour é bem organizando, possui um caminhão que leva as pessoas para ver as pegadas em diferentes partes. O guia explica muito bem o local e fala um ótimo inglês e francês (uma raridade por aqui).

Outro atrativo é o antigo castelo ¨La Glorieta¨, que hoje faz parte da escola militar boliviana. Somente há pouco tempo começaram as restaurações, tendo ainda muito trabalho a ser feito. Um guia mirim conta histórias do único castelo da Bolívia.

Decidi conhecer um pouco da região perto da cidade. Primeiro, peguei um ônibus até Yotala, uma pequena cidade com casas de estilo colonial. Caminhei um pouco pelas ruas, fotografei e sentei no quiosque da praça para observar os alunos entrarem e saírem das aulas. Era o único lugar que tinha vida na cidade, o resto estava todo parado. Dali segui a Ñucchu, um povoado onde as pessoas de Sucre passam os fins de semana.

Em Ñucchu, me alojei no casarão do Senhor Alberto. Ele faz um tour pela casa, mostrando os moinhos e contando suas histórias, que são muitas, pois seu avô foi presidente da República e Alberto viajou 11 anos dando a volta ao mundo. Possui mapas e boas recordações de vários lugares. É uma aula de vida…

One comment to Sucre

  • Chichicastenango e o lago de Atitlan  says:

    […] mercado é super colorido, lembra os mercados de Otavalo (Equador) ou Tarabuco (Bolívia). Vendem de tudo, desde alimentos a artesanato. É um bom lugar para comprar os presentes […]

Leave a reply

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.