Leipzig


Cheguei em Leipzig domingo pela manhã. Como estava chovendo, um dia um pouco nostálgico, passei um bom tempo em um Frühstücksbuffet. Comi muito e voltei para o hotel para uma cesta. Era um dia perfeito para relaxar.

Logo, caminhei pelo centro da cidade, as vezes, o sol se arriscava a aparecer um pouco. O centro histórico é bonito, com edifícios antigos, cafés e lojas. Leipzig é uma cidade com um passado de intelectuais e arte, aqui morou personalidades como Goethe e Bach. Hoje, parece ser um centro estudantil. Foi uma das poucas cidades européias que vi gente se beijando nas ruas. Até me chamou a atenção pois tinha a idéia dos alemães frios que não beijam quando estão em público. Talvez fossem turistas…

Visitei o Museu do Bach. Não é muito grande, tem algumas imagens da época, partituras de música e um handset com explicações em inglês sobre sua vida e obra. Valeu a pena, pois chovia a fora, e a experiência de escutar Bach em sua cidade e ficar olhando pela janela foi significante.

Vi também a exposição da World Press Photo na estação de trem. O lugar é como um shopping center cheio de lojas, lanchonetes e restaurantes. É um pouco estranho pois a estação em si tem um estilo meio antigo, de Europa, velho mundo, mas este shopping parece que se está no Brasil ou Estados Unidos.

Apesar da visita a Leipzig ser curta, acho que pude ter uma idéia de como é a cidade. O pouco que vi, gostei muito, parecia uma cidade relativamente pequena mas com vida. Como Berlim, vi construção por toda parte, a cidade parece estar também em fase de transformação e reconstrução.

Apoio:


Hostel Sleepy Lion

Leave a reply